Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Existem mais de 800.000 lagos na República Sakha da Rússia, muitos dos quais se encontram agrupados no seu canto nordeste.

Sakha, também conhecida como Yakutia, é a entidade subnacional mais expansiva do mundo, cobrindo quase 3,1 milhões de quilómetros quadrados - uma área quase igual ao tamanho da Índia. Cerca de 40% da república fica a norte do Círculo Polar Ártico e está coberta por permafrost, o que mantém muitos de seus lagos congelados por 9 a 10 meses do ano.

Sakha,  a terra dos lagos, Rússia.jpeg

Fonte da imagem: Maxar

No seguimento da temática do post de ontem, trago hoje uma outra boa ideia, desta vez na área da reciclagem de plástico.

A Extruplás é uma empresa que "existe desde o ano 2000 e surge com o intuito de dar resposta à fração de plásticos mistos, a nível nacional, que até à data eram enviados para aterro. A Extruplás é uma empresa que recicla, recolhe e recupera os plásticos mistos e a partir dos quais produz mobiliário urbano, em plástico 100% reciclado, evitando assim que estes resíduos tenham como destino final o aterro."

Produz diferentes artigos destinados aos uso no exterior como "mesas e bancos de jardim, passadiços e pavimentos, espreguiçadeiras e chapéus - de - sol, pontes, estruturas sobrelevadas. Estes artigos,em plástico 100% reciclado, evitam, igualmente, que sejam utilizados recursos naturais como a madeira.

No site pode ler-se ainda algumas informações sobre esta temática:

Captura de ecrã 2021-09-28, às 19.09.28.png

 

 

 

Restos de tecidos têm um destino mais sustentável com a produção de tijolos decorativos que funcionam como isolante térmico e acústico.

Captura de ecrã 2021-06-26, às 06.51.33.png

Quando estudava arquitetura, a francesa Clarisse Merlet ficou sensibilizada com a quantidade de resíduos que a indústria têxtil originava – cerca de 4 milhões de toneladas, só na França e mais de 17 milhões de toneladas nos Estados Unidos. O mais crítico é que menos de um terço destes resíduos, constituídos principalmente por restos de tecido e roupas, são reutilizados ou reciclados. 

Merlet também se inquietava com o impacto ambiental da construção civil, responsável por grande extração de recursos naturais e por grandes quantidades de desperdícios. Descobriu uma solução conjunta para estes dois problemas e começou a fabricar tijolos, decorativos e isolantes, com restos de roupa. Estes tijolos são o produto da galardoada empresa criada por Clarisse, a FabBRICK.

tijolo-tecido-3-696x465.jpg

O componente principal dos tijolos é a roupa rasgada, comprada pré-moída de um fornecedor na Normandia. Cada tijolo é produzido com o equivalente a duas a três camisolas e qualquer tipo de tecido pode ser utilizado. Os resíduos são misturados com uma cola ecológica, também desenvolvida por Clarisse, e depois são prensados ​​num molde para formar o tijolo. 

Este molde usa compressão mecânica para produzir os tijolos, portanto, não requer energia além da necessária para pressioná-lo para baixo. Após este processo, os tijolos são removidos do molde e colocados para secar durante duas semanas antes de usar.

tijolo-tecido-5.jpg

É importante salientar que estes tijolos não podem ser usados na construção de paredes ou partes estruturais, mas podem ser utilizados para decoração e construção de divisórias internas, por exemplo em lojas.

tijolo-tecido-1.jpg

Os tijolos são resistentes ao fogo e à humidade e são um excelente isolante térmico e acústico. As peças podem ter 4 tamanhos diferentes e também já foram aproveitadas em candeeiros, mesas, bancos e muito mais. 

tijolos-tecido-6.jpg

Segundo Clarisse, desde a criação da empresa, no final de 2018, já foram produzidos mais de 40.000 tijolos, o que representa 12 toneladas de têxteis reciclados.

Segundo ela é também é possível usar máscaras cirúrgicas cortadas para a produção de tijolos, ajudando a dar um destino mais sustentável à imensa quantidade deste material que está sendo produzida desde o início da pandemia. “Ainda não sabemos como vamos vendê-los, porque ainda têm que passar por uma série de testes de laboratório, principalmente testes de incêndio, mas a ideia é construir alguns móveis pequenos e ver como eles funcionam”, explica a empreendedora.

tijolo-tecido-1.jpg

Clarisse e a sua equipe estão a trabalhar para desenvolver tijolos de tecido que possam também ser usados em partes estruturais da construção civil.

Apesar de ser uma empresa pequena que ainda está em fase de desenvolvimento, a FabBRICK tem um enorme potencial, já que oferece uma solução para um resíduo que precisa de um destino mais sustentável – os resíduos da indústria têxtil – e que pode substituir o uso de recursos naturais usados na produção de tijolos convencionais.  

Fonte das imagens: FabBRICK

26 Set, 2021

Amesterdão

Amesterdão, a capital da Holanda, é chamada de Veneza do Norte, pois tem mais de 100 quilómetros de canais, cerca de 90 ilhas e 1500 pontes.

Os canais de Amsterdão foram desenvolvidos, no começo do Século VII, com base em quatro semicírculos concêntricos que desembocam na Baía de Amsterdão. Nos séculos seguintes, o sistema de canais expandiu-se. Conhecido como "grachtengordel", três dos canais foram usados principalmente como desenvolvimento residencial e um quarto, mais externo, foi usado para defesa, gestão de água e transporte.

Estes canais permanecem uma imagem de marca de Amsterdão até hoje.

amesterdão.jpeg

Fonte da imagem: Maxar

Para nascer precisamos de:

2 Pais

4 Avós

8 bisavós

16 trisavós

32 Tétravós

64 Pêntavós

128 Héxavós

256 Heptavós

512 oitavós

1024 Éneavós

2048 Décavós

Ao fim das 11 últimas gerações temos um total de 4.094 antepassados.

Tudo isso em aproximadamente 300 anos antes de eu ou você nascer!

 

Pare um momento e pense...

- De onde eles vieram?

- Quantas lutas já lutaram?

- Por quanta fome já passaram?

- Quantas guerras já viveram?

- Quantas vicissitudes sobreviveram os nossos antepassados?

 

Por outro lado, quanto amor, força, alegrias e estímulos, nos legaram?

Quanto da sua força para sobreviver, cada um deles tiveram e deixaram dentro de nós para que hoje estejamos vivos?

Só existimos graças a tudo o que cada um deles passou.

Então, é nosso dever honrar nossos antepassados!

Imagem2.jpg

Ondas calmas chegam a São Martinho do Porto - uma vila em Portugal, com uma baía em forma de concha rodeada por uma praia de areia.

A baía formou-se quando uma faixa de terra ao longo da costa foi erodida e depois dividida pelo Oceano Atlântico. Como a abertura para o mar ainda é relativamente pequena, 250 metros, as ondas que rolam na praia são quase sempre calmas.

thumbs.web.sapo.io-2.jpeg

Fonte da imagem: Maxar

 

Um nó em forma de turbina conecta o SR 9A e o SR 202 em Jacksonville, na Flórida, EUA. Também conhecido como nó de hélice, essa estrutura consiste em rampas viradas para a esquerda contornando um cruzamento central, criando assim um padrão em espiral de tráfego à direita. Este tipo de entroncamento raramente é construído, devido à grande quantidade de terreno necessária para construir as estradas laterais.

Jacksonville, na Flórida, EUA.jpeg

Fonte da imagem: Maxar

 

18 Set, 2021

Ilha Lehua

Lehua é uma pequena ilha em forma de crescente localizada a cerca de 32 km a oeste da Ilha Havaiana de Kauai. Formada pelo cone do extinto vulcão Ni’ihau, a ilha estende-se por 1,13 km quadrados. Lehua é um santuário de vida selvagem desabitado, fornecendo habitats para pelo menos 17 espécies de aves marinhas e 25 plantas nativas ao longo de suas costas íngremes e rochosas.

Ilha Lehua, Hawai.jpeg

Fonte da imagem: Maxar

 

Na lista das 20 maiores cidades do mundo, não encontramos cidades europeias.

Para a pergunta: Quais são as maiores cidades do mundo? não existe uma resposta objetiva.

As dificuldades começam logo com o significado do conceito, não existe uma definição de cidade que seja universalmente aceite.

A tarefa de organizar, a partir de critérios objetivos, um ranking oficial das maiores cidades do mundo, não é propriamente fácil. Dependendo dos critérios utilizados, existem várias propostas para a hierarquização das cidades mundiais apresentando, todas elas, caráter de maior ou menor subjetividade. A lista que se apresenta no gráfico seria bastante diferente se a recolha de dados tivesse sido feita com base em «unidades municipais» urbanas ou em agrupamentos estatísticos dessas «unidades». A verdade é que também essa noção apresenta caráter subjetivo, o conceito de «município» varia de país para país.

É, cada vez mais, reconhecido o papel das cidades globais (espaços motores de fluxos) para o aprofundamento e evolução da geoeconomia mundial.

Nesta lista das maiores cidades do mundo, não surge qualquer cidade europeia. Este aspeto, em si mesmo, não deve ser entendido como negativo, mas é significativo pois reflete o «inverno demográfico» em que mergulhou o velho continente.

A fonte utilizada para a realização deste gráfico foi a plataforma «Macrotrends», considerada uma das principais plataformas de pesquisa, para investimentos de longo prazo. Atrair investimento passa pelo rejuvenescimento da população europeia. A Europa tem de saber mostrar que tem futuro!

220403700_4842139082483177_8843022018967939380_n.j

Pág. 1/2