Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Marca holandesa cria calças de ganga feitas com plástico recolhido nos oceanos

No mercado há 25 anos, a marca holandesa de roupa G-Star revolveu chegar a mais pessoas através de uma ideia ligada à sustentabilidade. A marca lançou uma campanha para limpar os oceanos que transforma o lixo lá encontrado em calças de ganga.

Para além de lhe ter dado uma nova visibilidade mundial, a campanha recebeu ainda um dos principais prémios do Festival de Cannes, o principal certame do mundo que premeia a criatividade em marketing e comunicação.

A campanha gozou ainda da atenção dado por Pharrell Williams, músico que desenhou as peças. Pharrel é também director criativo da Bionic Yarn, uma empresa que fabrica fios e tecidos feitos a partir de garrafas plásticas recicladas.

Segundo a imprensa internacional, o processo de fabrico começa com a selecção das garrafas, que são depois moídas e transformadas em fibras. Estas são depois trançadas com poliéster e usadas para fazer os fios dos tecidos.

De acordo com a G-Star, das 100 milhões de toneladas de plástico produzidas anualmente, cerca de 10% acabam nos oceanos. A poluição afecta os pássaros, mamíferos e a vida marinha. “O desafio era criar uma colecção de qualidade que parecesse e vestisse tão bem quanto das calças de ganga normais”, avançou a empresa.

Outra das preocupações visava tornar a colecção apelativa aos consumidores. “A ideia permite que pessoas de todo o mundo possam expressar as suas preocupações para a poluição dos oceanos, vestindo-as”, concluiu a G-Star. Ainda que a empresa tenha preocupações financeiras, a verdade é que esta nova colecção – e sobretudo a visibilidade que Pharrell Williamas lhe dá – pode ser importante para mudar mentalidades no que toca ao consumo (não literal) de plástico.

1 comentário

Comentar post